expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 26 de outubro de 2013

Chia




Chia é o nome popular da “Salvia Hispanica”, planta de origem das regiões da Guatemala, do México e da Colombia.

Deriva da palavra nahuatl chian que significa “oleoso”.

Descoberta e consumida há centenas de anos tem suas propriedades muito conhecidas pelos povos antigos.

Considerada um alimento funcional dado suas características compositivas (fibras, cálcio, magnésio, proteína, ômega 3, dentre outros).

Seus benefícios são inúmeros devido à grande variedade de boas substâncias que possui:

- ômega 3: é uma das mais ricas fontes conhecidas, tanto animal quanto vegetal e esta semente possui teor maior que o encontrado na linhaça e no salmão.

- cálcio: possui cinco vezes a concentração do mineral encontrado no leite de vaca.

- magnésio: possui duas vezes mais que em castanhas e nozes.

- manganês e fósforo: três vezes mais que no espinafre.

- proteínas: considerada uma fonte proteica completa pois nos fornece todos os aminoácidos essenciais que necessitamos e que nosso organismo não fabrica (isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e histidina)

- fibras: possui alta concentração, o que a torna um forte aliado no emagrecimento e boa digestão.

- antioxidantes: possui o flavonóide kaempferol e, em menor quantidade, os ácidos cafeico e clorogênico.

-ácidos graxos: do tipo poli insaturados essenciais, que são as gorduras consideradas benéficas ao nosso organismo

-carboidratos: são do tipo de baixo teor glicêmico.

Benefícios da chia:

- No emagrecimento: ela proporciona sensação de saciedade devido a capacidade de grande absorção de água que suas sementes contém. Faça o teste colocando uma colher de semente em um copo com água e veja o que acontece. O mesmo ocorre em nosso organismo; em contato com os sucos gástricos, suas fibras se transformam nesse gel, aumentando a dilatação do estomago, um mecanismo que favorece a saciedade e, consequentemente, menos consumo de alimento.
 
- Na prevenção e controle do diabetes: como contém alto teor de fibras e aumenta o tempo de liberação da glicose, ela pode ser relacionada com a prevenção do diabetes tipo2 (funciona da seguinte forma: a digestão dos carboidratos começa na boca e termina no intestino, onde partes maiores de carboidrato são transformadas em tipos diferentes de açúcar (glicose, frutose, galactose) para serem absorvidos; quando consumida com fontes de carboidratos (frutas, massas, pães), as fibras da chia têm como efeito a diminuição da velocidade com que o carboidrato sai do estômago e chega ao intestino, para terminar de ser digerido e absorvido, justamente por se transforarem em um gel. Dessa forma, a glicose é liberada lentamente na corrente sanguínea, fazendo com que o hormônio insulina, necessário para transportá-la até as células, também seja liberado em pequenas doses)

- Na prevenção de doenças cardiovasculares: devido ao ômega 3, responsável pela redução de coágulos sanguíneos e arritmias e colesterol.

- Na diminuição do colesterol: de toda gordura que compõe a semente, aproximadamente 77% são formados por ácidos graxos ômega 3 e 6. Uma das principais propriedades desses ácidos é a de reduzir o colesterol ruim e aumentar o bom, além de baixar o nível de triglicérides na corrente sanguínea. Também é auxiliar na regulação da pressão dos vasos sanguíneos já que aumenta a fluidez sanguínea, evitando assim o aumento da pressão arterial. E suas fibras também tem efeito benéfico na diminuição da concentração de lipídeos no sangue.

- Em seu efeito desintoxicante: como possui antioxidantes (como o ácido cafeico), auxilia na desintoxicação do fígado, e também impede a formação de radicais livres destruindo as membranas celulares que faz parte do processo de envelhecimento.
 
- Alternativa para intolerantes à lactose: como possui cálcio, é uma alternativa de consumo, apesar de encontrarmos mais dessa substância no tofu e no gergelim.
 
- Protege o cérebro: favorece as ligações cognitivas.

- Cabelo e pele saudáveis e bonitos: como possui vitamina A e B2 em sua composição, nossa pele e cabelos também se beneficiam com seu consumo.

- Efeito anticelulite: o ômega 3 é relacionado com a diminuição da inflamação, o que pode favorecer a diminuição da celulite, que nada mais é que um processo inflamatório do nosso organismo.

- No fortalecimento da imunidade: reforça nossas defesas devido a presença de selênio e zinco, podendo auxiliar no afastamento de gripes, resfriados e processos infecciosos.
 
- Na manutenção da integridade e saúde das células: devido a quantidade de fósforo, manganês, cálcio, potássio e sódio que também contém.

- Na ajuda contra a anemia, fadiga e cansaço: o ferro encontrado na chia é muito bem absorvido pelo nosso organismo, sendo o principal nutriente na formação dos glóbulos vermelhos (que transportam o oxigênio pelo nosso corpo). O que, consequentemente, nos previne da queda de imunidade

- Na melhora da resistência física e rendimento de atletas: além de uma recuperação muscular mais rápida no pós treino: também devido a presença de ômega 3 e minerais que são perdidos pelo suor.


- Essencial na dieta vegetariana: ótima fonte de proteína vegetal e aminoácidos essenciais.


Quantidade recomendada de consumo diário: Os especialistas dizem que não há uma quantidade diária estabelecida para o consumo da chia. No entanto, estudos conduzidos em humanos que obtiveram resultados positivos utilizaram 25 g da semente, aproximadamente duas colheres de sopa, uma vez ao dia. Cabe salientar que alguns usaram mais. Mas como ela é calórica, o mais recomendado é manter os 25 g diários.

Como incluir na alimentação

É possível encontrar a chia em diferentes formas:

Grãos (sementes ao natural): Preserva as propriedades nutricionais mais intactas. Pode-se incluir em sopas, bolos, saladas, polvilhar em cereais, iogurtes, frutas e até adicionar em bebidas (sucos ou água).

Óleo: Os ácidos graxos ômega 3 e 6 são preservados, no entanto o teor de fibras fica comprometido. É uma alternativa para temperar a salada ou colocar na sopa.

Farinha: É o produto final da moagem do grão da chia, fonte de ômega 3, fibras e proteínas.