expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Amaranto



Originário da região andina, sua planta pode chegar a 2,5 metros de altura, de onde brotam flores e sementes de cores vistosas. Nessa região, é conhecido como feijão dos Andes sendo muito bem aproveitada, pois pode-se utilizar as folhas, as flores, os talos e até seus grãos.



Cerca de 15% dos seus grãos são proteínas de alto valor biológico, o que significa que possui os aminoácidos essenciais, que o nosso corpo não produz. Sendo assim, é um alimento super rico em proteínas, podendo se equiparar ao leite, às carnes e aos ovos, daí a sua fama de super alimento. Possuem também bastante fibra, zinco, fósforo, ferro e cálcio.
O cálcio que ele possui é bio disponível, ou seja, consegue ser bem absorvido pelo organismo, o que não acontece com outros tipos de vegetais.


Não possui glúten, sendo um ótimo alimento a ser consumido pelos celíacos, pois esses possuem intolerância ao glúten.
Alguns estudos sugerem que seu consumo auxilia na redução do colesterol ruim no sangue.
Em sua composição química possui uma combinação parecida com a do nosso arroz com feijão pois possui cerca de 14% da proteína do feijão e os aminoácidos presentes no arroz ( que são moléculas orgânicas que não são fabricadas pelo nosso organismo e essenciais para o nosso corpo).
É um alimento funcional pois reduz ou mantém normal os triglicérides do sangue, gordura no sangue, incluindo o colesterol.
Possui duas vezes mais proteínas que o trigo comum.
Pode ser consumido de diversas formas pois é vendido em grão, farelo ou farinha.