expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Lentiha


ORIGEM:

É um dos mais antigos alimentos do homem.

Foram encontrados registos da presença de lentilha, de sementes pequenas, entre remanescentes datadas de 8.000 a 7.500 a.C., no norte da Síria.

A Bíblia faz referência à lentilha por 3 vezes no Antigo Testamento. Os escritos hindus sagrados consideram-nas como doces, adstringentes, refrescantes e favorecendo o sono. 

Atualmente cultivam-se sobretudo na Turquia, Índia, Canadá, Bangladesh, China e Síria.


PROPRIEDADES:

Existem vários tipos de lentilhas, que se diferenciam pela cor: lentilhas verdes, louras, vermelhas ou castanhas, negras e lentilhas laranja. 

Classificam-se igualmente segundo o seu tamanho: a variedade macrospermae (grande) e a variedade microspermae (pequena). 

Muito nutritiva e sem dúvida a mais fácil de digerir de todas as leguminosas, pois normalmente não provoca flatulência.

Estimula o estômago, expulsa a bílis.

O seu elevado conteúdo em fibras, dá-lhe propriedades importantes ao nível da diminuição do colesterol sanguíneo, bem como na melhoria do funcionamento intestinal.

A lentilha é considerada uma boa fonte vegetal de proteínas, sendo estas importantes na regulação da contração muscular, na produção de anticorpos, no processo de dilatação e contração dos vasos sanguíneos.

O seu elevado conteúdo em magnésio, torna a lentilha útil na formação dos ossos, na melhoria do sistema enzimático, no metabolismo dos glúcidos e cálcio.

Também é rica em ferro, importante na formação do sangue e prevenção da anemia. Quando consumidas com alimentos ricos em vitamina C, é aumentada a absorção deste mineral.

O seu consumo, juntamente com cereais também poderá ser útil, pela complementaridade de aminoácidos que proporciona, obtendo assim um aporte proteico excelente.