expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 7 de maio de 2016

Ômega-3


Conhecida como " a gordura do bem" nos mostra que nem todas as gorduras são iguais ou tem o mesmo efeito no organismo.

É conhecida com esta denominação por ser uma gordura poli-insaturada e extremamente benéfica à saúde. 

Além de fazer parte da estrutura de todas as células do corpo, essa gordura reduz o colesterol e os processos inflamatórios, como por exemplo a celulite, melhora o funcionamento do sistema imunológico, a qualidade do sono, a atividade cerebral e ainda diminui o risco de mortalidade, principalmente por causa de doenças neurodegenerativas e cardíacas.

Também possui ação anticancerígena, antifúngica e antiviral.

Presente nas sementes de linhaça, chia e cânhamo (proibido no Brasil), em algas (especialmente nas algas amarelas e azul-verde como a espirulina por exemplo), em nozes, na macadâmia, na beldroega e também em peixes, o ômega-3 é considerado um ácido graxo essencial, ou seja, deve ser consumido diariamente porque o corpo é incapaz de produzi-lo.

É importante lembrar que, assim como o ferro e o acido fólico, o ômega-3 é também um nutriente essencial para o desenvolvimento do feto.

O mundo científico ainda não conseguiu explicar com exatidão como esta gordura consegue promover tantos benefícios para a nossa saúde.  que se sabe até agora é que pelo menos 50% da membrana de todas as células do corpo é formada por este tipo de gordura.

Os ácidos graxos como o ômega-3 e o ômega-6, garantem permeabilidade e fluidez às células.

Porém, para que o ômega-3 proveniente do alimento chegue até a célula e faça seu trabalho, o corpo precisa transformá-lo em dois compostos conhecidos como DHA e EPA. De cordo com alguns nutrólogos, os hábitos de uma pessoa podem favorecer ou prejudicar essa conversão do ômega-3 em seus compostos ativos. O hábito mais comum que prejudica este mecanismo é muito comum aos vegetarianos: alto consumo de fontes de ômega-6, como os óleos vegetais, principalmente o de gergelim e girassol ( o ômega-6 também é um ácido graxo essencial e também traz benefícios à saúde, porém, pode ser prejudicial se consumido em excesso).

É muito importante manter o equilíbrio entre estas duas gorduras, pois a conversão do ômega-3 fica prejudicada se ingerirmos muito ômega-6. O ideal é manter a ingestão de duas a quatro partes de ômega-6 para uma parte de ômega-3. Ou seja, usar menos óleos vegetais durante o preparo da comida, evitar frituras e bebidas alcoólicas e incluir o óleo de semente de linhaça pois ele mantém um bom equilíbrio entre os dois ômegas.

Importante lembrar que este óleo não deve ser aquecido: o certo é tomar uma colher de chá ou de sopa do óleo de linhaça frio ou temperar a salada na hora do seu consumo.

Para conhecimento de vegetarianos e não vegetarianos a pergunta: Por que peixes são ricos em ômega-3? A resposta é simples: Porque eles consomem algas.

Vegetarianos devem tirar proveito da química entre o óleo de coco e o de linhaça, fazendo uma mistura de uma colher de sopa de óleo de coco com três colheres de sopa de farinha de linhaça marrom (moa a semente na hora). Esta conversão do ômega-3 em EPA e DHA não é muito fácil pelo nosso organismo, por esta razão recomenda-se que vegetarianos consumam pelo menos o dobro de ômega-3 do que indivíduos que consomem peixe.

De modo geral, as fontes vegetais de ômega-3 oferecem mais vantagens para a saúde do que os óleos de peixe. Um alimento não fornece apenas um tipo de nutriente, ele é um amontoado de substâncias que irão favorecer ou prejudicar o funcionamento da sua saúde. Peguemos o exemplo da linhaça e chia que além de oferecerem a gordura são ricos em fibras (no caso delas são a lignina que é convertida pelo organismo em lignana, que, por sua vez, ajuda a fortalecer o sistema imunológico e tem propriedades anticancerígenas, antifúngicas e antiviral)

Quando ingerimos uma quantidade adequada de ômega-3 beneficiamos diferentes órgãos ao mesmo tempo:

- Coração:  # se protege contra arritmias cardíacas e aterosclerose pois previne o acúmulo de gordura nas artérias.
                 # aumenta o colesterol HDL ('bom')
                 # diminui a pressão arterial e os níveis de triglicérides
                 # melhora o revestimento interno das artérias
                 # participa da formação de novas veias
                 # melhora a viscosidade do sangue, prevenindo trombose

- Mama: # diminui o risco de câncer em mulheres na pré menopausa

- Fígado: # ajuda o fígado a eliminar toxinas
               # previne a doença hepática gordurosa não alcoólica, conhecida como fígado gorduroso, que se caracteriza pelo acúmulo de gordura no fígado

- Próstata: # ajudam a diminuir o risco de câncer de próstata

- Pâncreas: # melhora o seu funcionamento, onde a insulina é produzida. Por isso, este tipo de gordura é boa para quem sofre de diabetes.

Cérebro: # auxilia na produção de acetilcolina, um neurotransmissor necessário para a memória
               # como faz parte da composição dos neurônios, ele também facilita a comunicação entre eles
              # estimula a produção de GABA, uma substância que previne quadros de ansiedade, depressão e ataques de pânico
             # O DHA é o maior componente do tecido cerebral. Em fetos, o DHA ajuda no desenvolvimento do cérebro e dos olhos
             # Esse mesmo DHA combate depressão pós parto e previne desordens psicológicas, como bipolarismo.
             # O ômega-3 ajuda na regularização do humor e diminui sentimentos como impulsividade e agressividade
             # A produção de serotonina, conhecida como o neurotransmissor do bem-estar, é facilitada com a presença do ômega-3
             # Reduz o risco do mal de Parkinson
             # Melhora a comunicação entre os neurônios

Rins: # Previne disfunções renais

Pele: # Protege a pele dos raios solares, prevenindo o câncer de pele
         # Retarda o envelhecimento celular

Sistema Imunológico: # Fortalece as defesas naturais

Além de prevenir o Diabetes e as Inflamações.

Ômega-3 em números

# 85% é a diminuição do risco de morte por fibrilação arterial em pacientes cardíacos que ingerem quantidade adequada da gordura.

# 60% é o aumento de suicídio em pessoas com problemas psíquicos e baixos níveis de DHA no sangue.

# 60% é a diminuição do risco de homens suscetíveis ao fígado gorduroso desenvolverem a doença.

# 50% menos risco de câncer de mama é o que mulheres no período pré menopausa apresentam quando ingerem a gordura diariamente.

# 50% das membranas celulares são compostas por ômega-3, que mantém a integridade e a flexibilidade de todas as células.

# Pessoas com níveis sanguíneos de ômega-3 acima de 8% envelhecem mais devagar do que as pessoas com níveis abaixo de 4%

# A deficiência desta gordura pode estar relacionada a mais de 96 mil mortes prematuras por ano no mundo, algumas causadas por enfarte e derrame.